Embarcando Num Cruzeiro de Swing

Texto: Introdução Liza Andrews, com reportagem da Agência First Tour, SP


Numa era que está se tornando mega liberal em termos de sexo, convido mesmo aqueles que não se sentem prontos ou tentados a experimentar nada fora da normalidade, a conhecer mais profundamente o que está acontecendo por ai. 

No que tange sexo e relações liberais há ainda mais constrangimento e preconceito devido aos mitos e informações fragmentadas ou errôneas que chegam até nós, por diversas mídias não confiáveis, diariamente. Eu tenho uma veia jornalística que me obriga a investigar. Se você tem interesse no assunto, fique ligado. Haverá artigos bem específicos sobre relacionamentos liberais nesta sessão, onde descreverei minhas entrevistas e pesquisas pelo mundo. Mas vou começar pelos "preliminares."

Um dos sucessos do momento, para quebrar a monotonia entre um porto e outro, é o cruzeiro swing. Ao ouvir isso, nossa imaginação é imediatamente povoada por imagens de uma orgia total, com casais fazendo sexo pelo deck do navio. Imagina-se também que “quem está na chuva é pra se molhar”, portanto, uma vez que se está lá, qualquer casal que chegue perto e nos passe uma cantada, temos que topar.

Pergunta-se também sobre o quão liberal as coisas são. Liberais para sexo ou pra tudo. Sexo, drogas & Rock and Roll?

Outra preocupação comum é sobre fotografias. Em cruzeiros, resorts e eventos de swing em geral, algumas pessoas temem ser fotografadas e ter suas imagens publicadas online.

Para desfazer os mitos, segue a reportagem de uma agência de São Paulo especializada em passeios para apreciadores de swing. 

"A bordo, os hóspedes têm a opção de não usar roupa. A nudez não é obrigatória", informa a agência First Tour, "mas quem quiser aproveitar o verão para eliminar a marquinha do biquíni poderá ficar à vontade". Além de visitar os destinos brasileiros, uruguaios e argentinos, os hóspedes participarão de festas do navio que são classificadas como "charmosas e sensuais". Relações íntimas, porém, só podem ocorrer em alguns espaços determinados da embarcação.

Os pacotes da viagem custam a partir de US$ 1.500 por pessoa. O preço abrange todas as refeições a bordo, mas não inclui bebidas alcoólicas e a passagem áerea entre Buenos Aires (ponto final da jornada) e o Brasil.

Na piscina dos navios, a paquera rola solta e o clima é quente, mas o sexo explícito é proibido.

A primeira coisa a desmistificar é que, ao contrário do que a maioria das pessoas imagina, os casais não ficam transando o tempo todo. O sexo acontece mais intensamente quando anoitece. É claro que durante o dia, a paquera rola solta entre os casais, o que vai criando um clima de intimidade, as pessoas vão se conhecendo e descobrindo afinidades.

Praticante de swing há mais de cinco anos, o casal formado por Gustavo, 39 anos, e Sol, 42 (que prefere não revelar seu sobrenome) conhece bem esse flerte que rola a bordo. "No final da tarde, muitos casais vão à piscina tomar sol, você pode ficar nu, de biquíni ou do jeito como preferir. O clima esquenta quando começam as brincadeiras", conta ela, referindo-se às atividades recreativas promovidas pelos organizadores da viagem: desde desfiles de lingeries a shows de sedução que, embora não mostrem cenas de sexo explícito, são bastante eróticos. 

Além do ambiente da piscina, outra área onde o clima fica mais quente é a boate. "Toda noite, depois do jantar, os casais vão para lá, eventualmente vestidos de acordo com um tema proposto, que pode ser 'Noite do Branco' ou 'Noite das Máscaras'", detalha Sol. "Neste local a paquera é intensa, muitos dançam coladinhos e as mulheres começam a se beijar", completa a suingueira.

Mesmo na piscina e na boate do navio, no entanto, apenas a paquera e as brincadeiras eróticas são permitidas. Sexo, só nas cabines ou no playroom.

E é no playroom que o sexo coletivo acontece. São várias camas artisticamente arranjadas e que podem ser parcialmente separadas por véus transparentes. Decorado com imagens eróticas, o playroom fica aberto até de madrugada. Sempre à meia luz, "os casais podem fazer trocas, transarem em grupos ou exibirem-se uns para os outros", revela Gustavo.


O playroom é o lugar da ação nos cruzeiros de swing. Lá, a nudez e o sexo são liberados

Como Gustavo sugere, nem todos os pares a bordo se comportam do mesmo modo no playroom.

De maneira geral, eles podem ser divididos em: voyeurs, aqueles que apenas observam os outros casais em ação; exibicionistas, que gostam de transar em público, mas não fazem trocas; softs, que topam fazer as preliminares com outros, mas sexo completo só com o(a) parceiro(a); os que curtem sexo a três -- na maioria da vezes, um casal acompanhado de uma mulher -- e os troca-troca geral, para quem topa tudo, sem restrições.

"É comum que um casal que viaja pela primeira vez neste tipo de cruzeiro apenas observe e não faça sexo com outro casal", diz um dos membros da agência. "Nas viagens seguintes, ele vão se soltando e começam a praticar o swing com mais naturalidade."

De acordo com os profissionais da agência, os brasileiros exigem muito mais discrição do que os europeus e americanos na hora de contratar um cruzeiro. Eles temem que outras pessoas fora do meio do swing saibam que fazem esse tipo de viagem. Muitos até contratam o serviço diretamente no exterior para tentar se proteger ainda mais.

Fazer esse tipo de turismo não custa barato. Como nenhum cruzeiro parte de um porto brasileiro, as viagens têm que ser feitas no exterior, o que encarece mais a conta.

"Em média, uma cabine para dois custa R$ 8 mil e você tem que somar a isso os R$ 2 mil da passagem aérea, por pessoa, até o destino da partida do navio", calcula Sol. "Isso acaba restringindo o público a casais com alto poder aquisitivo e não tão jovens, a faixa etária fica entre 35 e 50 anos".

Independentemente das restrições financeiras, esse nicho do mercado de Turismo não é nada pequeno. Numa estimativa para a rede de TV americana ABC, o site AdultFriendFinder, uma das maiores comunidades online de troca de casais, calculou que há atualmente 10 milhões de praticantes de swing no mundo. Público suficiente para lotar vários navios como o que passou pela Europa em junho. Ofertas no exterior

Se no Brasil os cruzeiros de "swing" ainda não são difundidos, no exterior a realidade é diferente. Existem diversas empresas estrangeiras que vendem viagens marítimas para casais liberais (e alguns navios chegam a comportar mais de mil casais).

Abaixo a listagem de regras oficiais do que é ou não permitido fazer durante um cruzeiro swing. 

 1. Respeito: “Não” significa “não”. Qualquer pessoa que não entende isso e faz avanços sexuais não desejados depois de ser dito “não” estará sujeito a expulsão do navio no porto seguinte, ou imediatamente se estiver no porto.

2. Nudez: A nudez é permitida, mas somente nas seguintes áreas: o deck da piscina, terraços, jacuzzis, sala de jogos e os corredores que levam a sua cabine. Por favor, note que você não pode ir nu em qualquer elevador, você deve ser coberto. Nudez não é permitida nos restaurantes, cassino, lojas, átrio, lounges, ou outros locais públicos não mencionados acima. Por favor, sente-se em uma toalha em todos os momentos, quando nua, é apenas uma cortesia comum! No indo e vindo da ” Sala de Brincadeiras” por favor, use um robe ou toalha.

3. Regras de atividade sexual: Sinta-se livre para conhecer um ao outro na pista de dança, trocar e-mails, ou se encontrar depois em sua cabine, mas nenhuma atividade sexual é permitida nos bailes, deck da piscina, lobby ou em qualquer lugar público. Há um tempo e um lugar para tudo, a atividade sexual só pode ter lugar em suas cabines privadas ou na área de hospitalidade privada designada. Sob nenhuma circunstância pode se aproximar de qualquer um dos funcionários a bordo, para fins de se envolver em atividade sexual ou solicitar, por qualquer motivo. Os funcionários não são permitidos em sua cabine ou em qualquer outro local a bordo do navio para a atividade sexual com os convidados, correndo o risco de perder o emprego. 

4. Não Drogas: Esta é novamente uma regra muito simples. Nenhuma droga ilegal é permitida a bordo do navio. Qualquer pessoa que quebrar esta regra será banida dos nossos próximos eventos e expulsa do navio. Não compre medicamentos em Ports, você provavelmente vai ser preso. Se você tentar trazer drogas de volta para o navio, você vai ser preso e retirado do navio.

5. Câmeras e política de foto: Fotos de outros passageiros sem permissão são proibidas. Se você é visto tirando fotos de pessoas ou grupos de pessoas, sem a permissão por escrito de cada pessoa que está sendo fotografada sua câmera será confiscada pela segurança e as fotos serão excluídas, a critério do supervisor de segurança. Fotos tiradas a bordo do navio são apenas para uso pessoal. Fotos do cruzeiro não podem ser publicadas, impressas, divulgadas na internet, no YouTube ou utilizadas para qualquer outro fim sem o consentimento escrito pela empresa do Cruzeiro e seus proprietários, assim como de cada indivíduo retratado.

6. Traje e conduta: Se alguém diz que você está agindo ou se vestindo de forma inadequada, você provavelmente está. Por favor, respeite os seguranças, eles estão aqui para proteger você e os outros participantes. 

7. Intoxicação: Se você se embriagar e perturbar outros passageiros, você será escoltado para a sua cabine e pediremos para ficar lá até você estar sóbrio.

8. Prostituição: Os passageiros não estão autorizados a pagar nem aceitar pagamento para se envolver em qualquer forma de entretenimento ou atividade sexual ou qualquer forma de tráfico humano.

9. Proteger-se: é sua a responsabilidade de agir com responsabilidade quando se trata de proteção pessoal e proteção contra doenças sexualmente transmissíveis. Nós não assumimos nenhuma responsabilidade nesta matéria.

10. Tabagismo: Só é permitido fumar nas varandas e em áreas designadas do navio. Não é permitido fumar em qualquer cabine.

11. Somente casais: Informamos aos casais que vocês devem chegar juntos ao porto de saída, pois sozinho o embarque será negado (nada de brigas ante em!!) rs

12. Confidencialidade: Você deve segurar como privadas e confidenciais os nomes ou qualquer outra informação relacionada com outros participantes sem a sua liberação por escrito na cabine!!

13. Política visitantes do navio: Cada participante deve também cumprir com as políticas do navio, bem como todas as ordens do capitão.


http://arteemanhasdoamor.com/artigos/2015/3/9/embarcando-num-cruzeiro-de-swing

66 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo